O site da Dicas Truques e Fatos utiliza cookies. Saiba mais sobre nossas Políticas de Cookies clicando aqui. Ao navegar você concorda com a sua utilização.
Saiba mais sobre os cookies em nossa Advertência Jurídica e Políticas de Privacidade

Inteligência – Como aumentar o seu QI

Inteligência – Como aumentar o seu QI

Isso pode realmente aumentar o seu QI?

Uma espiada no mundo da Melhoria Cognitiva. O repórter do The Guardian, David Adam faz um relato de sua experiencia com esses estimulantes de QI.

Do fármaco inteligente o Modafinil, às câmaras de oxigênio, o interesse pelo aprimoramento cognitivo está crescendo.

A gente sempre buscou vantagens sobre nossos rivais, mas tentar melhorar a inteligência passaria dos limites. Pode-se pagar por uma educação, mas e a capacidade? Ou você tem ou você não tem. Uma nova ciência chamada Melhoria Cognitiva promete que alguém que não tenha inteligência hoje, possa aumentar o próprio QI amanhã.

O uso da ciência para aumentar a inteligência pode soar exagerado, mas algumas pessoas importantes levam a perspectiva muito a sério. Nos últimos dias do governo Tony Blair, funcionários do governo britânico pediram à um painel de especialistas, que analisasse o possível impacto político. A Grã-Bretanha queria saber se outros países – rivais econômicos – poderiam estar dispostos a introduzir programas nacionais para aumentar artificialmente a “qualidade” intelectual de suas populações.

Cientistas financiados pelo Estado na China realizaram experiências para ver se as câmaras de oxigênio pressurizadas – tipicamente usada para tratar mergulhadores com embolia aérea – podem melhorar o desempenho mental. Sem esperar os resultados, famílias ambiciosas estão colocando seus filhos adolescentes nessas câmaras na noite anterior ao teste crucial de Gaokao (Enem da China), o caminho tradicional para o ensino superior e uma carreira segura no Estado.

Inteligência - Como aumentar o seu QI

Já na Europa, o uso de drogas inteligentes é comum. Algumas pesquisas sugerem que cerca de um quarto dos alunos do Reino Unido tomaram modafinil ou um medicamento similar para ajudar em seus estudos. Um quinto dos cirurgiões diz que o tomaram e um número similar de cientistas profissionais. Na Grã-Bretanha, é uma droga prescrita, por isso é legal possuir, mas ilegal, vender e fornecer.

– Influencia

Startups de empresas de neurociência já vendem on-line, estimuladores elétricos básicos de cérebro. Eles afirmam que irão estimular a atividade neural. Esses esforços acompanham os esforços paralelos em universidades e hospitais que visam usar o aprimoramento cognitivo para enfrentar os problemas mentais acarretados pelo envelhecimento e a falta de tratamentos confiáveis para transtornos mentais que acometem pelo menos uma quarta parte da população global. A questão é apenas o quão longe essa pesquisa de aprimoramento cognitivo irá espalhar sua influência em uma sociedade mais ampla. Há uma forte tradição de tratamentos médicos sendo usados pelos saudáveis para melhorar o desempenho normal: drogas no esporte é o exemplo mais óbvio.

– Doping cerebral?

O doping cerebral é justo? Deveria ser permitido, ou mesmo encorajado? Poderia aumentar nossa atenção? Nossa memória? Nossas habilidades de matemática e linguagem? E se puder, quais são as implicações para a sociedade? É muito cedo para responder a todas essas perguntas, mas não é muito cedo para perguntar. Eu acredito que o aprimoramento cognitivo funciona porque eu usei para ajudar a aumentar minha própria inteligência. A evidência? Eu usei isso para “trapacear” no meu teste de QI Mensa.

The international high-IQ society, a Mensa oferece adesão à pessoas com QI nos 2% mais elevados da população. Na escala mais comumente usada, é um QI de 130. Há mais de um milhão de pessoas no Reino Unido com um QI de 130 ou superior. A participação da Mensa UK é de cerca de 21 mil pessoas então fica claro que nem todo mundo com QI elevado quer se juntar a uma sociedade de alto nível.

– Uma visão sobre o Teste de QI

Os críticos dos testes de QI, gostam de salientar que é ridículo tentar reduzir a infinidade de habilidades e potencialidades de uma pessoa em um único número representativo. Eles estão certos, mas não está claro com quem eles realmente estão discutindo. É muito mais difícil encontrar alguém – pelo menos, alguém que entende inteiramente os testes de QI – quem realmente acredita que deve ser usado desse jeito.

O QI não se destina a uma medida da habilidade individual, mas também é uma maneira de comparar as diferenças nessa habilidade. E, em média, um melhor desempenho nos testes de QI indica níveis mais elevados de conquistas no mundo mais amplo.

Primeiro, os alunos com pontuações mais elevadas tendem a gastar mais tempo na educação e obter melhores notas. Essas pessoas são só estudiosos, e não são inteligentes? Parece que não – a mesma associação positiva aparece no local de trabalho. Os funcionários que são julgados os melhores trabalhadores e gerentes por seus chefes e colegas, são mais prováveis ​​de ser aqueles com QIs mais elevados. Isto aplica-se à todos os setores, desde trabalhos altamente qualificados até trabalhos de baixa complexidade.

Desempenho e salário estão vinculados, e com certeza, aqueles com um QI alto tendem a ganhar mais dinheiro. E eles são menos propensos a sofrer de pressão alta e doenças cardíacas, menos probabilidades de serem obesos e menos propensos a ter um distúrbio psiquiátrico que necessite de tratamento hospitalar. Eles provavelmente viverão mais tempo. Alguns estudos sugerem que um QI relativamente baixo carrega o mesmo risco extra de morte precoce como tabagismo.

– Usando a eletricidade

Inteligência - Como aumentar o seu QI

Comprei on-line um estimulador cerebral básico: dois eletrodos conectados a uma bateria de 9V que liguei a esponjas molhadas pressionadas no meu couro cabeludo. Durante 30 minutos por noite, durante uma semana antes do teste. Ele direcionou a corrente em meus lobos temporais anteriores, acima dos meus ouvidos, tentando copiar um experimento na Austrália que parecia mostrar uma melhora nos voluntários solicitados a resolver quebra-cabeças.

A eletricidade foi aplicada ao cérebro para tentar mudar quase todas as funções cognitivas, com algum sucesso. Antes de implantar soldados no Iraque, o exército dos EUA fez com que eles jogassem um videogame para simular o que encontrariam. Os voluntários que tinham uma corrente de 2mA aplicada no lado direito do crânio, acima do córtex frontal inferior ou do córtex parietal direito, foram duas vezes mais rápido do que os outros para identificar ameaças. (Embora um tenha abandonado porque disse que experimentou uma dor ardente.) O efeito durou pelo menos uma hora depois que a corrente foi desligada, o que sugere que a estimulação poderia ter provocado mudanças duradouras nos cérebros dos voluntários.

Esse tipo de experiências inspiraram as comunidades DIY que gostam de ser conhecidas como “hackers do cérebro”. Em grande parte, fora dos institutos de pesquisa e das universidades de boa fé e além do alcance de qualquer regulamentação ou controle, essas pessoas estão construindo equipamentos que alteram o cérebro e os estão utilizando em si mesmas. Eles trocam experiencias, técnicas e dicas sobre sites especializados na internet. Eles filmam suas experiências e as enviam para o YouTube.

– Os efeitos

A auto-estimulação do meu cérebro começou com um estrondo. Quando eu liguei o interruptor de 2mA, um flash de luz atravessou minha visão, uma bala de traçado passou pelo meu cérebro. Eu engasguei, e minha esposa – já nervosa com minha auto-experimentação – inclinou-se para a frente pronta para puxar a tomada. Era um fosfeno, um pico de luz que não existe, é criado apenas pela estimulação elétrica das retinas na parte de trás dos meus olhos, ou provavelmente o córtex visual do meu cérebro. Os fosfenos são inofensivos, mas eles mostram que mexer com o cérebro pode ter consequências inesperadas. No momento, não há evidências de efeitos colaterais nocivos, mas a estimulação elétrica do cérebro certamente pode dar errado. Alguns usuários domésticos disseram que eles se queimaram gravemente.

Na manhã do teste do Mensa, também tomei uma pílula inteligente: alguns modafinil que eu comprei on-line e um amigo químico testou para garantir que fosse genuíno.

Os efeitos de drogas inteligentes são muitas vezes super estimados e exagerados. Mas evidências sólidas sugerem que o modafinil tem um efeito positivo e significativo na cognição. Demonstrou-se melhorar o desempenho de voluntários saudáveis em várias tarefas – lembrando uma série de números, tomada de decisão, resolução de problemas e planejamento espacial entre eles. Em agosto de 2015, cientistas das universidades de Harvard e Oxford se juntaram e analisaram todas as experiências mais confiáveis e concluíram que o modafinil é a primeira droga inteligente segura e eficaz do mundo.

Por segurança, eles avaliaram no curto prazo. Ninguém sabe quais são os efeitos a longo prazo, em parte porque os cientistas não rastrearam o uso crônico de modafinil e, em parte, porque não tem certeza de como a droga funciona, nem mesmo o efeito que causa no cérebro humano.

– O efeito Modafinil, alerta e rápido porém preso em sua mente!

Inteligência - Como aumentar o seu QI

Senti a droga me tornar mais alerta e ajudou a me concentrar. Eu fiz as primeiras questões fáceis, mas em relação ao tempo marcado e questões mais complicadas, aconteceu algo curioso. O modafinil – pelo menos eu acho que era o modafinil – me prendeu completamente em cada questão, e tornou mais difícil acertar e seguir em frente. Quando eu sabia a resposta já de inicio, a droga atuava como um acelerador. Mas quando algum esforço era necessário, era quase um freio. Eu fiquei preso nas questões, “como foi formulada e em que sentido? E se eu demorasse muito?”. Achei mais difícil me livrar do desafio intelectual e passar para a próxima pergunta. (Em janeiro de 2017, cientistas da Alemanha relataram o que parece um efeito similar do modafinil em jogadores de xadrez experientes. Aqueles que receberam a droga fizeram melhores movimentos, mas na verdade perderam mais jogos com punições de tempo.)

– O resultado

Quando a Mensa me enviou os novos resultados, o meu QI medido pelo teste foi agora de 135, acima de 125 um ano antes, e muito acima do limite exigido para a participação da Mensa.

Os estimulantes de aprimoramento cognitivo foram os responsáveis? É impossível saber com certeza, mas acho que alguns deles foram. Ainda assim, é difícil separar todos os fatores que podem confundir o resultado, e é por isso que a ciência e a medicina não tomam resultados pontuais em tais experiencias sem controle, seriamente como evidências sólidas. Mesmo que o efeito seja genuíno, não podemos dizer se um dos métodos que tentei funcionou melhor que o outro. Eu sou apenas um estudo de caso. Mas estudos de caso ainda podem ser úteis. Eles podem identificar os efeitos que exigem atenção, exploração e, eventualmente, explicação.

O aumento do aprimoramento cognitivo nos desafia a pensar sobre inteligência e habilidade de uma maneira nova. Na época que o governo do Reino Unido pediu aos especialistas para investigar o aprimoramento, o Escritório Parlamentar de Ciência e Tecnologia produziu uma nota explicativa sobre o tema para os políticos britânicos. “O uso generalizado de intensificadores levaria a questões interessantes para a sociedade”, afirmou. “Atualmente, indivíduos com desempenho cognitivo acima da média em áreas como memória e raciocínio são valorizados e recompensados. Tornar esse desempenho prontamente disponível para todos os indivíduos pode reduzir a diversidade das habilidades cognitivas na população e mudar ideias sobre o que é percebido como normal “.

– Conclusão

Tal como acontece com o doping no esporte, os benefícios que as técnicas de aprimoramento cognitivo oferecem não precisam ser colossais para serem significativos. A inteligência é relativa. É como a velocidade, na velha piada sobre os dois cinegrafistas de vida selvagem que filmam um leão. À medida que a besta faminta avista os dois e começa a rugir, um deles troca as botas por um par de tênis.

“Você nunca superará um leão”, diz o colega dele.

“Eu não preciso. Eu só preciso superar você. ”

Para investigar, explorar e explicar, a única maneira é prestar atenção e realizar ensaios maiores e mais controlados. Nós deveríamos? Eu acho que devemos, se por nenhuma outra razão que para dar à sociedade a evidência que precisa para decidir o que fazer sobre o aprimoramento cognitivo. Parece ser a coisa inteligente a fazer.

Aumentar o seu QI pode ser uma ótima ideia. Principalmente quando pensamos em provas como do Enem e concursos públicos que são extremamente concorridos. Porém todo cuidado é pouco, fazer esses experimentos por conta própria pode acarretar em danos à saúde. Utilizando os estímulos elétricos, algumas pessoas relataram queimaduras graves. Afinal mexer com eletricidade, ainda mais ligando fios em sua cabeça, é extremamente arriscado. A droga Modafinil parece ter um efeito positivo. Porém com um efeito curioso, que é a dificuldade que cria ao prender a pessoa em determinada resolução de questão, fazendo com que ela perca tempo ao não conseguir ir para a questão seguinte caso não tenha uma resposta que lhe pareça correta. Sem falar que não existe nenhum estudo dos efeitos à longo prazo do uso desta droga.

Fonte: The Guardian

Clique aqui e Siga-nos no Facebook: Dicas Truques e Fatos

Envie seu comentário

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE